Casa da Cidade

Partindo de questões como projetos de interesse público, mediação de conflitos, processos participativos, intervenções coletivas, mapeamentos colaborativos, práticas espaciais, gestão compartilhada, mutirões comunitários, construções experimentais, invenção de lugares reais e imaginários, potencialização de relações de vizinhança e agenciamento dos diversos agentes envolvidos na produção da cidade – moradores, poder público, movimentos sociais, etc – a Casa da Cidade, propõe a todos os interessados em conhecer e intervir concretamente no cotidiano de Diamantina uma série de atividades, coordenadas por interlocutores de diversas áreas e origens.

ENDEREÇO

Av. Coronel Caetano Mascarenhas, nº 09, Bairro Rio Grande

COORDENAÇÃO

Roberto Andrés e Wellington Cançado

GRUPOS DE TRABALHO

Escritório Público de Arquitetura

Que cidade queremos? Qual cidade podemos realizar coletivamente? Processo participativo e o desenvolvimento de intervenção coletiva para Diamantina. Construção de mapeamentos colaborativos, possibilidades habitacionais, propostas para equipamentos públicos e projetos em conjunto com o poder público, moradores locais e movimentos sociais.

Período: 16 a 21 de julho
Horário: 9h às 15h
Vagas: 10
Local: Casa da Cidade, Av. Coronel Caetano Mascarenhas, nº 09, Bairro Rio Grande

Proponentes:

Joviano Mayer é integrante da Frente pela Reforma Urbana das Brigadas Populares, advogado popular especializado em conflitos fundiários urbanos, coordenador do Núcleo de Direito à Cidade do Programa Pólos de Cidadania da UFMG (http://brigadaspopulares.blogspot.com.br).

USINA CTAH (Ana Carmona, Kaya Lazarini e Leila Petrini) é um coletivo de arquitetura autogestionado que trabalha junto aos movimentos sociais na construção de experiências territoriais de outra ordem, que envolvam a capacidade de planejar, projetar e construir pelos próprios trabalhadores, mobilizando fundos públicos em um contexto de luta social e reforma urbana (http://www.usinactah.org.br).

Mutirão Quadra-Praça da Palha

Intervenção em espaço inacabado no bairro da Palha em Diamantina. Proposição de processo participativo entre moradores, lideranças locais, poder público e participantes para realização de mutirão para transformação da quadra em praça pública multifuncional. Elaboração de plano comunitário para gestão compartilhada do espaço.

Período: 16 a 26 de julho
Horário: 9h às 15h
Vagas: 10
Local: Quadra da Palha, Bairro da Palha

Proponentes:

Al Borde é um coletivo de arquitetura sediado em Quito/Equador, que investiga estratégias construtivas e arquitetônicas com objetivo de otimizar recursos materiais e humanos, colaborando com músicos, artistas, designers, cenógrafos, etc. (www.albordearq.com).

Helena Marchisotti é arquiteta-urbanista e trabalha com planejamento urbano na construção de interfaces entre lideranças comunitárias, empresários, técnicos e poder público, bem como projetos de requalificação de espaços públicos.

Laís Grossi é graduanda em arquitetura e pesquisadora do Núcleo de Cenografia do Galpão Cine-Horto; participou em projetos de gestão e construção no Equador com o coletivo Al Borde em projeto de urbanização da comunidade Dandara (BH).

Mutirão Parque Urbano

Mutirão para proposição de parque urbano em Diamantina. Mapeamento ambiental, mobilização social e ação política para inserção do tema na pauta local. Proposição de processo participativo entre moradores, lideranças locais e poder público para discussão e elaboração de projeto do parque e plano de gestão do mesmo.

Período: 16 a 26 de julho
Horário: 9h às 15h
Vagas: 10
Local: Quadra da Palha, Bairro da Palha

Proponentes:

Christiano Ottoni Carvalho é arquiteto-urbanista, mestre em Geografia pelo programa de Tratamento da Informação Espacial (PUC/ MG); Trabalhou com mediação ambiental, foi consultor da FEAM e coordenou Planos Diretores Municipais, Planos de Habitação de Interesse Social e Planos de Desenvolvimento Regional; Atualmente é professor da UNIBH.

Paisaje Transversal (Jon Aguirre Such e Pilar Díaz Rodríguez) é uma plataforma transdisciplinar baseada em Madrid/Espanha que trabalha com novos modelos de gestão e intervenção urbana, desde a perspectiva da participação cidadã e da ecologia urbana, explorando as potencialidades das ferramentas digitais (http://www.paisajetransversal.org).

Mutirão Saneamento Comunitário

Mapeamento das questões que envolvem o saneamento e (auto)produção do espaço nas comunidades do Vau e Quartel do Indaiá, a partir da noção da bacia hidrográfica. Investigação de possibilidades de coleta e tratamento primário de esgoto e a sua relação com os cursos d`água. Mutirão comunitário para construção de fossas sépticas experimentais de baixo custo nas duas comunidades.

Período: 16 a 21 de julho, no Quartel do Indaiá e no Vau.
Horário: 9h às 15h
Vagas: 10
Local: Comunidades do Vau e Quartel do Indaiá

Observações: Participantes ficarão hospedados em casas de moradores das comunidades do Vau e Quartel do Indaiá (condições e valores em breve).

Proponentes:

Luciano Amador Jr. é turismólogo, pós-graduado em ecoturismo pela UFLA (Universidade Federal de Lavras) e MBA planejamento gestão e marketing turístico pela UCB (Universidade Católica de Brasilia), mobilizador social e consultor para desenvolvimento territorial por meio do turismo responsável.- http://www.lugares.tur.br. -

MOM (Morar de Outras Maneiras / Leonardo Polizzi e Pedro Arthur Novaes) é um grupo de pesquisa sediado na Escola de Arquitetura da UFMG cujo principal foco é investigação das possibilidades de autoprodução dos espaços transformados pelo trabalho humano em situações de escassez de financiamento, recursos técnicos e legais (www.mom.arq.ufmg.br)

Invenção da cidade pelas crianças

Desenhar, descobrir e inventar lugares concretos e imaginários com as crianças e para as crianças. Intervir e propor situações, jogos, ações construtivas e conceituais no espaço urbano através do olhar e da escuta das crianças de Diamantina e também de outras cidades.

Período: 16 a 21 e 23 a 26 de julho
Horário: 9h às 15h
Vagas: 20 (10 para crianças de Diamantina e 10 de outras cidades)
Local: Casa da Cidade, Av. Coronel Caetano Mascarenhas, nº 09, Bairro Rio Grande
Público: crianças de 8 a 13 anos

Proponentes:

Adriano Mattos Corrêa é arquiteto, marceneiro e professor de projetos da Escola de Arquitetura da UFMG, mestre em Poéticas da Modernidade e doutorando pela UFMG; trabalha com arquiteturas menores, design, espaços para dança contemporânea, intervenções urbanas e autoconstrução.

André de Oliveira Corrêa tem 8 anos, é conhecedor da tabela periódica, investigador da matéria que constitui o mundo e propositor de outras tabelas para nomear os novos elementos descobertos; é inventor de geradores de energia e  construtor de outros modos de habitar as cidades.

Marconi Marques é artista plástico, pós-graduando pela Escola Guignard, com experiência em Arte Educação. Participou de exposições individuais e coletivas e integrou projetos como “Sobremesa de Queijos – Museu Mineiro”; “Pedregulho Residência Artística – Kaza Vazia”; “Atelier Aberto Galeria Guignard” e “Nesta Rua tem um Rio” / Undió.

Casa-mutirão

Transformar um espaço doméstico em ponto de convergência de pessoas e ideias no bairro Rio Grande. Articular relações de vizinhança, experimentar espacialidades, produzir e disseminar conteúdos sobre a cidade em diversas mídias-formatos e em conjunto com o Cine-mutirão da Casa das Imagens.

Período: 16 a 26 de julho

Horário: 9h às 15h
Vagas: 10
Local: Casa da Cidade, Av. Coronel Caetano Mascarenhas, nº 09, Bairro Rio Grande

Proponentes:

Alexandre Campos é arquiteto, professor da OiKabum Escola de Arte e Tecnologia e co-organizador do livro Espaços Colaterais (www.colaterais.org).

Fernanda Regaldo é mestre em estudos políticos pela London School of Economics. Trabalhou no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, participou da residência artística 2011 no JA.CA, é co-autora do livro A Natureza Mora ao Lado e co-editora da revista Piseagrama (www.piseagrama.org).

Graziela Kunsch é artista e doutoranda em cinema na ECA-USP. Membro dos coletivos Núcleo Performático Subterrânea, A.N.T.I. cinema, rejeitados e Usina. co-organizou os projetos Arte e esfera pública e Esboço para novas culturas: projetos de cidades em debate. É editora da revista Urbânia [urbania4.org].

Banquete Público

Compartilhamento de receitas, modos de fazer, histórias, saberes e potencialidades da culinária local. Desenvolvimento de parcerias, relações de trocas, agenciamentos urbanos, instauração de processo colaborativo para produção e realização de banquete em espaço público de Diamantina.

Período: 16 a de 22 de julho
Horário: 9h às 15h
Vagas: 10
Local: Associação Mulheres Reais, Gruta de Lourdes, Diamantina

Proponentes:

Breno Silva é arquiteto, músico e artista. Co-realizou os projetos Lotes Vagos: ações coletivas de ocupação experimental e Banquetes: expansões do doméstico. Co-Diretor dos vídeos: Banquetes e Kits Ambulantes, foi curador do projeto Muros: territórios compartilhados e participou do programa Post-it City-Cidades Ocasionais

Coletivo Mulheres Reais é um grupo que atua desde 2010 e tem sua sede no bairro Gruta de Lourdes, em Diamantina. Atualmente é composto por 8 mulheres que trabalham coletivamente na produção de quitandas típicas da região para venda em feiras livres e como merenda em escolas municipais.

Patrícia Britto atua nas áreas de arquitetura e urbanismo e é consultora do Miguilim, desenvolvendo projetos relativos à memória cultural e registro de saberes e costumes, como o conhecimento culinário (http://www.miguilim.com).